Exaltando-se para própria ruína.

Quando buscamos a Deus, Ele nos faz maravilhas, limpa-nos do pecado e muda todo o nosso futuro. Mas, quando recebemos DE DEUS essas bênçãos, não podemos esquecer de onde saímos e quais foram nossos caminhos para chegarmos até o local da vitória, QUEM nos tirou de lá e nem quem Deus usou para interceder.

Uzias era um rei que era orientado por Zacarias, homem enviado por Deus, e que fazia da forma que ele lhe orientava. Assim fazendo, seu reinado foi abençoado e sua vida prosperou, ele se fortaleceu, mas seu coração se exaltou depois de tudo que conquistou.

"Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração para a sua própria ruína." 2 Crônicas 26: 16

Deus usa homens para interceder por nossas vidas para que aconteça conosco o que aconteceu com Uzias: sermos fortificados. Mas não podemos esquecer que Deus usou este homem, e que sua intercessão tem feito a diferença em nossas vidas, além de não esquecermos de onde saímos. Eu ouvi uma pregação com a história de Uzias e meditei em suas atitudes e pedi a Deus que isso nunca acontecesse comigo. Nós não podemos esquecer de onde saímos quando Deus nos coloca no lugar de vitória, e nem podemos esquecer de quem intercede por nós. 
Por experiência própria, eu já conquistei coisas na minha vida, que tenho a certeza absoluta que foram as orações do que intercede por mim, sr. Washington Pereira. Como posso exaltar-me a dizer que Deus me ouviu? Como posso esquecer aquilo que conquistei com as orações dele no momento das minhas dores? Se praticarmos o exemplo de Uzias a ruína é certa! E como Deus continuará fazendo Suas maravilhas na vida de uma pessoa que não sabe reconhecer de onde saiu? Não há como, pois a falta deste reconhecimento é soberba, e a soberba deixa a pessoa podre por dentro, e Deus não age na vida daqueles que estão com seus interiores sujos.
Leia 2 Cronicas 26 e muito mais Deus falará com você. A vida de Uzias é um exemplo para que não façamos o mesmo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Deus prova os pensamentos.

"Enquanto há vida, há esperança."