"Faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço."

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando!" Mateus 23: 13

"Ai" significa condenação. Os escribas e fariseus conheciam muito bem a palavra, gostavam de cobrar dos outros a prática das leis, mas eles praticavam uma coisa ali outra aqui, colocavam a palavra de Deus como um fardo a carregar que os outros deveriam carregar, mas eles não! Como não praticavam o que tão bem conheciam, tinham um péssimo testemunho, suas palavras falavam tudo o que deveria ser feito, mas suas obras eram totalmente ao contrário.

Um péssimo testemunho afastam, principalmente os que estão iniciando na fé, de serem salvos. Seria como pensar: "Fulano faz assim e assado, então posso fazer." Mas fulano não pratica a palavra, tem palavras de cristão é conhecedor do evangelho, mas o coração está longe de Deus, se "fantasia" muito bem de crente. Aos olhos deles, são considerados perfeitos, sem defeitos e sua comunhão com Deus é bem melhor do que os demais, mas a realidade é outra, são completamente cegos. 
Quem permanece até o fim da vida vivendo como um hipócrita será condenado, assim como inicia este versículo, com condenação.
Muitos de nós estamos bem próximos de uma pessoa com as péssimas características descritas acima, e esse é um dos motivos que devemos vigiar primeiro e depois orar, para não ser contaminado com um hipócrita e deixarmos de entrar no céu.
Gostaria de fazer um convite para que possamos refletir juntos:
  • Eu sou um hipócrita e não estou vendo?
  • Estou me encaminhando a me tornar um hipócrita?
  • Minhas atitudes resplandecem a luz de Deus a ponto de salvar os que me rodeiam com meu testemunho?
  • Já me contaminei com um hipócrita?
Como diz o sr. Washington (o que chamo de "pai da fé"): "Tá vigiando? Então dobra, triplica! Todo o tanto que vigia parece pouco."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Deus prova os pensamentos.

Dízimos e Ofertas - Primícias