Renunciando o que eu quero.

"[...] Aba, Pai. Tudo te é possível; passa de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres." Marcos 14: 36

Jesus sentiu pavor, antes de se entregar naquela cruz por nós e orou a Deus pedindo que não precisasse fazer aquilo, porém deixou claro que não fosse feito a vontade Dele mas a de Deus.
Morrer para que tivéssemos salvação foi de uma responsabilidade tremenda e, como já sabemos, muito doloroso. Meu convite a meditação é: o que Deus pediu para nós renunciarmos e que ainda não renunciamos porque queremos a nossa vontade? Muitas vezes, abrimos a boca para dizer que somos de Deus, convertidos e cheios do Espírito, mas no momento em que Deus nos pede algo que precisamos renunciar, e gostamos demais de fazer, afinal é um prazer tremendo, quando precisamos nos parecer com Jesus e colocar a vontade de Deus acima da nossa, o que fazemos, muitas das vezes, é colocar a nossa em primeiro lugar: "Olha Deus, não me leve a mal, mas o Senhor está me pedindo demais! Não vou fazer isso não viu! É muito difícil!" ou ainda "Acho que não entendi direito... Tem tanta gente na igreja que não renunciou coisas piores e são tão abençoadas, pra que eu vou abandonar isso? Bobagem!" Mesmo que não diga essas palavras, as atitudes falam desta forma.
Meditemos quantas vezes por uma semana, ou até por dia, estamos mais preocupados em nos satisfazermos do que renunciarmos algo para agradarmos a Deus; em quantos momentos renunciamos a vontade de Deus e deixamos prevalecer a nossa, afinal, na maioria das vezes, o que Deus nos pede dói para executarmos, pois fazer o que não podemos é mais prazeroso e fácil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Deus prova os pensamentos.

Dízimos e Ofertas - Primícias